Erva-toura (Orobanche ramosa L.)

Flora Silvestre Portuguesa

Espécie: Orobanche ramosa L.
Divisão: Magnoliphytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Lamiales
Família:Orobanchaceae
Sinonímia: Orobanche trichocalyx (Webb et Berthel.) Beck.
Nome comum: Erva-toura.
English names: Hemp broomrape, branching broomrape.

No início da Primavera, a erva-toura atapeta com as suas tonalidades lilases e brancas as florestas e os ervados onde cresce,  preenchendo com vida os espaços por entre as árvores onde dantes só existiam os dourados e os castanhos da manta-morta. Mas a beleza tem um preço e serão as demais espécies que com ela crescem a pagá-lo.

Identificação: É muito fácil identificar a erva-toura, uma vez que não cresce mais do que uns 20 cm, irrompendo directamente do solo. Não possui folhas, apenas uma espiga de flores tubulares lilases ou brancas que se ocultam por entre a vegetação.

Tipo Fisionómico: Terófito.

Distribuição: Europa, Ásia, América do Norte, Nova Zelândia e África.

Habitat: Surge em matagais, florestas, ruderais, campos incultos e cultivados.

Floração: Março/Abril.

Princípios activos: Terpenos e flavonóides. Podem variar.

Flora silvestre Portuguesa

Variedades branca e lilás.

Propriedades: Adstringente, cicatrizante, anti-séptica.

Partes usadas: Planta completa.

Usos: O seu uso é principalmente veterinário. Utilizada na lavagem de úlceras e no tratamento de problemas gástricos do gado.

Curiosidades: Por não possuir clorofila, é incapaz de realizar fotossíntese, o que a obriga a ir buscar os nutrientes de que necessita às raízes das outras plantas que a cercam. A espécie hospedeira ajuda a identificar a subespécie de orobanche que dela se alimenta.

Embora o seu emprego medicinal seja mais comum a nível veterinário, diversos homeopatas acreditam que esta planta possa conter propriedades curativas muito mais relevantes do que à partida se julga. É, pois, bastante provável, que a orobanche absorva características das espécies das quais extrai o seu alimento. Alguns curandeiros vão mais longe e levantam a hipótese de que as características da planta hospedeira sejam exponenciadas pela planta parasita, o que faz com que devamos ter ainda mais em consideração as espécies que a cercam.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Orobancháceas com as etiquetas , , . ligação permanente.

2 respostas a Erva-toura (Orobanche ramosa L.)

  1. Nanda Costa diz:

    Muito giras as florinhas, singelas …

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s