Erva-dos-bálsamos (Inula graveolans (L.) Desf.)

flora silvestre portuguesa

Espécie: Inula graveolans (L.) Desf.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Asterales
Família: Asteraceae
Sinonímia: Dittrichia graveolans (L.) Greuter; Erigeron graveolans L., Jacobea graveolans (L.) Merino.
Nomes vulgares: Erva-dos-bálsamos, énula-cheirosa.
English name: Stitchwort.

O seu valor terapêutico era já bem conhecido na Antiguidade. Hoje, a erva-dos-bálsamos, tal como a sua parente próxima, a tádega, caiu no esquecimento, e poucos dela se socorrem…

Identificação: Trata-se de uma herbácea perene ou bienal, de raiz rizomatosa, cuja altura varia imenso, desde uns escassos centímetros a mais de um metro. As folhas são lanceoladas ou ligeiramente ovadas, glabras ou ligeiramente tomentosas, as basais apresentam pecíolo, enquanto as caulinares se tornam amplexicaules e progressivamente mais pequenas. As inflorescências surgem solitariamente ou em pequenos corimbos. Possui flores liguladas (disco externo) e tubulosas (disco interno). Cada flor é pentâmera, hermafrodita e zigomórfica. O ovário é ínfero. O fruto é uma cipsela.

Tipo Fisionómico: Hemicriptófito.

Distribuição: Europa mediterrânica.

Habitat: Matagais, campos de cultivo ou incultos, bermas de caminhos, ruderais.

Floração: Agosto-Outubro.

Princípios activos: Óleo essencial, ácidos fenólicos, vitamina C.

Propriedades: Antibacteriana.

Partes usadas: Óleo essencial (inalação).

Usos: Usada em casos de asma, bronquite, laringite, sinusite, rinite e tosse, bem como em drenagem linfática e problemas de circulação sanguínea.

Curiosidades: Segundo alguns autores, o nome “inula” parece derivar do grego enàein, que significa “purificar”, em alusão directa ao poder purificante deste bálsamo. No entanto, há quem defenda que este nome provenha de Helena de Troia.

Este género comporta aproximadamente noventa espécies, muito usadas como plantas decorativas em jardins privados na Antiguidade.

Esta espécie foi recentemente enquadrada apenas no género Dittrichia, ficando excluída das inulas.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Asteráceas com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Erva-dos-bálsamos (Inula graveolans (L.) Desf.)

  1. Pingback: Asteraceae (Asteráceas/Compostas) | Herbalist

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s