Chorão-das-praias (Carpobrotus edulis (L.) N. E. Br. in E. Phillips.)

flora silvestre portuguesa

Espécie: Carpobrotus edulis (L.) N. E. Br. in E. Phillips.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Caryophyllales
Família: Aizoaceae
Sinonímia: Mesembryanthemum edule L.
Nomes vulgares: Chorão, chorão-das-praias, malícia, figo-da-terra, bálsamo.
English name: Hottentot fig.

Alógeno, infestante, porém belo e útil. Assim é o chorão-das-praias, que veio de longe, talvez das terras do Adamastor, tomar conta das arribas portuguesas.

Identificação: Quase dispensa apresentações, esta que é provavelmente a flor costeira mais conhecida em Portugal. Trata-se de uma herbácea perene, suculenta, de crescimento prostrado e muito ramificado – o que leva à formação de vastos tapetes quase impermeáveis à demais vegetação rasteira –, folhas cilíndricas/piramidais, estreitas, carnudas, sésseis e opostas. As flores, vistosas (cerca de 10 cm de diâmetro) e multi-petaladas, amarelas ou cor-de-rosa intenso, surgem solitariamente em pedúnculos erectos e ostentam inúmeros estames petalóides. O fruto é uma cápsula globosa.

Tipo Fisionómico: Caméfito.

Distribuição: Com provável origem na África do Sul, encontra-se disseminada pelo Mediterrâneo e Oeste da Europa.

Habitat: Arribas e praias.

Floração: Março-Junho.

Princípios activos: Flavonóides, sódio e potássio.

Propriedades: Comestível, vulnerária e antibacteriana.

Partes usadas: Folhas, frutos e seiva.

Usos: Tanto os frutos como as folhas são comestíveis. Os frutos, geralmente secos, bem como as folhas cruas podem ser usados na preparação de pikles, dado o seu sabor agridoce, em substituição dos pikles de pepino. As folhas tanto podem ser consumidas cruas como cozinhadas, embora o seu sabor não seja considerado agradável pela maioria das pessoas.

Medicinalmente, a seiva do chorão-das-praias é usada sobre feridas, prurido e eczema, dadas as suas propriedades vulnerárias. Também empregue em caso de diarreia e como anti-séptico oral e antibacteriano.

Curiosidades: O facto de se ter tornado extremamente competitivo face à flora autóctone, o chorão-das-praias foi decretado «planta invasora» no Decreto-Lei 565/99. Apesar do seu estatuto de invasora, esta planta contribui para a estabilização dos solos e impede o avanço de fogos.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Aizoaceae com as etiquetas , , . ligação permanente.

5 respostas a Chorão-das-praias (Carpobrotus edulis (L.) N. E. Br. in E. Phillips.)

  1. Pingback: Aizoaceae (Aizoáceas) | Herbalist

  2. Manuel Santana Alho (Iridólogo) diz:

    Obrigado, em nome da carpobrotus edulis.. Foi a primeira postagem positiva que encontrei.
    Essa planta é bem mais útil medicinalmente do que se fala ou se possa imaginar, à primeira vista.
    Por motivo da minha própria saúde, a comecei a usar há cerca de 25 anos. A lista de curas é enorme.
    .Que seja estudada cientificamente e posta ao serviço da Humanidade.

    Gostar

    • DylluanDew diz:

      Muito obrigada pelo seu comentário, também ele um importante contributo para a monografia desta planta que tem sido vista apenas como intrusa… De facto deveríamos estudar bem as plantas que nos cercam, sejam endémicas ou alógenas, antes de as rejeitarmos. Há muitos medicamentos a crescer nas nossas arribas, ruderais e calçadas!

      Gostar

  3. João Costa diz:

    Boa noite, hoje mesmo utilizei-a na minha testa para borbulhas e o efeito sente-se imediatamente, frente á minha casa existe uma mata onde este chorão abunda, só hoje descobri o seu poder, vivam as plantas.
    Paz…..e Plantas!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s