Salgadeira (Atriplex halimus L.)

flora silvestre portuguesa

Espécie: Atriplex halimus L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Caryophyllales
Família: Chenopodiaceae
Sinonímia: Não encontrada.
Nomes vulgares: Salgadeira.
English name: Mediterranean saltbush, Sea orache, Shrubby orache.

Mais do que um alimento de emergência, a salgadeira parece ter uma relação muito estreita com as paisagens salinas que assiduamente frequenta. É mar em forma de arbusto.

Identificação: Arbustiva perene, de caules ligeiramente rosados ou esbranquiçados, a salgadeira atinge cerca de 2.5 m de altura, sendo com frequência podada quando usada como ornamental para criar sebes. Espécie monóica, apresenta folhas pecioladas, glaucas ou verde-esbranquiçadas, alternas, de margem ondulada e forma romboidal. Apresenta flores brancas zigomórficas.

Tipo Fisionómico: Micro-fanerófito.

Distribuição: Endémica da Península Ibérica. Encontra-se noutras partes do mundo, sobretudo na Madeira.

Habitat: Orlas costeiras, ruderais, jardins.

Floração: Julho.

Princípios activos: Rica em proteínas, sódio e cloro.

Propriedades: Comestível, carminativa, hipoglicemiante e ornamental.

Partes usadas: Folhas e sementes.

Usos: Muito usada para constituição de sebes, a salgadeira pode, no entanto, servir de alimento. As folhas podem ser usadas cozidas em sopas ou tortilhas, ou até mesmo cruas em saladas, quando tenras, e apresentam um paladar salgadiço, o que lhe valeu o seu nome popular de salgadeira. Considerado um alimento alternativo em épocas de escassez, a salgadeira era usada como substituto dos espinafres. As sementes podem ser farinadas e adicionadas a sopas. Também empregue como hipoglicemiante no controlo da diabetes e no fabrico de sabão.

Curiosidades: A salgadeira que cresce no litoral tem maior teor de sal, no entanto a que cresce em zonas não salinas também apresenta esta característica salinidade que tempera por si só qualquer prato.

As salgadeiras que crescem em solos demasiado nitrófilos não devem ser usadas na alimentação por conterem grandes quantidades de nitratos.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Amarantháceas com as etiquetas , , . ligação permanente.

Uma resposta a Salgadeira (Atriplex halimus L.)

  1. Pingback: Amaranthaceae (Amarantháceas) | Herbalist

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s