Bolsa-de-pastor (Capsella bursa pastoris L.)

flores silvestres

Espécie: Capsella bursa pastoris L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Capparales
Família: Crucíferas (Brassicáceas)
Sinonímia: Bursa pastoris Hill, Bursa pastoris var. rubella (Samp.), Bursa pastoris (L.) Medik. ssp. rubella (Reut.).
Nomes comuns: Capsela, bolsa-de-pastor, erva-do-bom-pastor.
English name: Shepherd’s pruse.

Ninguém parece notá-la por entre as demais espécies da sua comunidade, discrição que contrasta com as notórias propriedades desta planta tão singela, à qual só poderemos tecer elogios.  

Identificação: Herbácea anual, que raramente ultrapassa cerca de 40 cm de altura. Parte de uma roseta de folhas basais verde-claras, ligeiramente pubescentes, estreitas e de margem irregular. Distingue-se pelos seus frutos em forma de coração, dispostos assimetricamente em redor de um caule fino. Na extremidade deste caule, surge um conjunto de pequenas flores brancas de quatro pétalas.

Tipo fisionómico: Terófito.

Distribuição: Nativa da Europa, podemos ainda encontrá-la nas regiões temperadas da Ásia e da América.

Habitat: Ruderais, matagais, terrenos cultivados ou incultos, margens de rios e de caminhos.

Floração: Depende do ciclo de vida de cada exemplar.

Princípios activos: Glucosinolatos, ácido búrsico, flavonóides, polipéptidos, ácido fumárico, vitaminas A, B1, B2, B3, B6, C e D, ferro, cálcio, sódio, zinco, magnésio, fósforo, potássio, proteínas e hidratos de carbono.

Propriedades: Anti-hemorrágica, anti-cancerígena, emenagoga, vasodilatadora, anti-escorbútica, hipotensiva, adstringente, estomáquica, vulnerária e diurética.

Partes usadas: Toda a planta.

Usos: Muito usada no tratamento de problemas menstruais, hemorragias internas e externas, sobretudo uterinas, bem como auxiliar no parto. Constitui um diurético suave e, por isso, é aplicada no tratamento de infecções urinárias e em caso de pedra renal. Externamente usada em ulcerações cutâneas, feridas, queimaduras e inchaços.

Tanto pode ser usada sob a forma de tintura ou infusão, quer seca quer fresca. Não apresenta contra-indicações.

Gastronomicamente, as sementes podem ser usadas como pimenta e a raiz seca como substituta do gengibre. Os rebentos jovens são consumidos em sopas e saladas.

Curiosidades: A bolsa-de-pastor é assim chamada devido à forma dos seus frutos, que nos remete para as bolsas de couro que se usavam presas ao cinto na Idade Média e também durante o Renascimento.

As sementes, quando postas em água, libertam uma substância gomosa que atrai e captura insectos e intoxica as suas larvas.

A bolsa-de-pastor tem sido usada na dessalinização de solos.

Esta planta não deve ser guardada por um longo período, pois perde rapidamente os seus princípios activos, tornando-se ineficaz, como qualquer medicamento. Também a sua eficácia parece ser reforçada por um fungo branco que se aloja nas folhas e que nem sempre está presente.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Brassicáceas com as etiquetas , , . ligação permanente.

Uma resposta a Bolsa-de-pastor (Capsella bursa pastoris L.)

  1. Pingback: Brassicaceae (Brassicáceas/Crucíferas) | Herbalist

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s