Melilotos (Melilotus spp.)

flores silvestres

Espécie: Melilotus officinalis L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Fabales
Família: Leguminosas/ fabáceas
Sinonímia: Melilotus alba Medik. Melilotus albus Medik. Melilotus albus Medik. var. annuus Coe Melilotus arvensis Wallr. Melilotus leucanthus W. D. J. Koch ex DC. Melilotus lutea Gueldenst. Melilotus officinalis (L.) Lam. var. micranthus O. E. Schulz
Nomes comuns: Meliloto, trevo-de-cheiro, trevo-aromático, coroa-de-rei, anafa.
English name: Melilot

Confesso que não esperava encontrar esta delicada plantinha por estas paragens. Felizmente, os terrenos baldios ainda dão guarida a muitas espécies que de outro modo já não fariam parte das nossas vidas, cada vez mais afundadas no cimento e no alcatrão.

Identificação: Plantas anuais ou bianuais de cerca de 15/50 cm de altura, de folhas trifoliadas verde-claras, pequenas, lanceoladas ou oblanceoladas e peninérveas, com a margem do limbo ligeiramente serrilhada. As flores, muito odoríferas devido à presença de cumarinas, são normalmente de tom amarelo-forte, compostas por minúsculas campânulas invertidas, pêndulas, e organizadas em forma de cachos axilares de corola caduca. O fruto é capsular e varia de aspecto consoante a espécie. Na vila, para além do M. officinalis (meliloto), existe a espécie branca, o M. alba (meliloto-branco), pouco frequente, a par de duas outras de menores dimensões e grande dispersão, o M. indicus (meliloto-da-índia), cujo lobos foliares apresentam o ápice plano, e o M. sulcata (anafe-sulcado), em que a zona apicial dos lobos das folhas apresenta um sulco mucronulado.

flores silvestres

Espécie: Melilotus sulcatus L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Fabales
Família: Leguminosas/ fabaceae
Sinonímia: Não encontrada.
Nomes comuns: Anafe, anafe-sulcado, trevo-de-seara.
English name: Grooved melilot.

Tipo Fisionómico: Terófitos.

Distribuição: Toda a Europa, Norte de África e Ásia.

Habitat: Esta planta forrageira espontânea dá-se melhor em terrenos argilosos, secos ou húmidos, e nas margens dos caminhos.

Floração: Março/Abril

Princípios activos: Cumarinas, melilotina, flavonas, ácido melilótico, vitamina P.

Propriedades: Anticoagulante, vasoprotectora, vermífuga, anti-inflamatória, diurética suave, venotónica.

flora silvestre portuguesa

Espécie: Melilotus indicus L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Fabales
Família: Leguminosas/ fabaceae
Sinonímia: Melilotus indica (L.) All.
Nomes comuns: Meliloto-menor, anafe-menor, meliloto-da-índia, trevo-de-namorado, coroa-de-rei.
English name: Annual yellow sweetclover.

Partes usadas: Toda a planta com excepção da raiz.

Usos: Tisanas, cremes, emplastros e condimentos. Como poderoso anticoagulante e vasoprotector, o meliloto facilita a circulação cerebral e periférica, sendo muito aplicado no tratamento de varizes, derrames, celulite e hemorroidal, devido à sua acção sobre todo o sistema circulatório. Trata edemas linfáticos e previne tromboses. Por ser anti-inflamatório, é útil no caso de conjuntivites e ulcerações da pele (emplastros). Também usado em caso de dores de cabeça, dores menstruais e inflamações urinárias. Não deve ser tomado em conjunto com outros anticoagulantes.

flora silvestre

Espécie: Melilotus albus Medik.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Fabales
Família: Leguminosas/ fabaceae
Sinonímia: Melilotus alba Desr.
Nomes comuns: Meliloto-branco.
English name: White melilot

Curiosidades: Utilizado em gastronomia como condimento, faz passar um coelho caseiro por coelho bravo, à semelhança da carqueja.

O famoso papiro de Ebers prescreve-o juntamente com óleo de rícino para tratamentos cosméticos, nomeadamente anti-rugas.

As cumarinas, presentes nas suas flores, quando administradas em doses muito elevadas produzem um efeito algo narcótico.

As resinas obtidas desta planta já foram usadas como aromatizante do tabaco e como fixador de perfumes.

A secagem destas plantas requer algum cuidado, uma vez que a humidade causa o aparecimento de um fungo nas suas folhas que, não sendo tóxico, exponencia os afeitos anticoagulantes desta erva, podendo torná-los excessivos.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Fabáceas com as etiquetas , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Melilotos (Melilotus spp.)

  1. Pingback: Fabaceae (Leguminosas/Fabáceas) | Herbalist

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s