Framboeseira (Rubus idaeus L.)

frutos silvestres

Espécie: Rubus idaeus L.
Divisão: Magnoliophytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Rosales
Família: Rosaceae
Sinonímia: Rubus buschii (Rozanova) Grossh.
Nomes vulgares: Framboesas, framboeseira.
English name: Raspberries.

A rainha dos frutos do bosque…

Identificação: Arbusto escandente e espinhoso, de folhas tripartidas, verde-claras na página inferior e verde-escuras na superior, ligeiramente ásperas e de margem serrada. As flores, hermafroditas, são geralmente brancas, pentâmeras, providas de inúmeros estames de anteras escuras, acastanhadas. O fruto é um conjunto de drupas agregadas, a framboesa, que adquire uma tonalidade vermelho-escura quando madura.

Tipo Fisionómico: Microfanerófito.

Distribuição: Sub-cosmopolita.

Habitat: Matagais, berma dos caminhos, ruderais, ripícola.

Floração: Maio-Julho.

Princípios activos: Canferol, quercitina e outros flavonóides, taninos, polipéptidos, vitaminas A, B1, B5,  e C, cálcio, fósfero e ferro.

Propriedades: Nutritiva, adstringente, tónica, anti-inflamatória, anti-emética, cardiotónica, febrífuga, auxiliar no parto, antiescorbútica, diurético descongestionante, fibrosa e tintureira.

Partes usadas: Folhas, raízes, flores e frutos.

Usos: Muito usada a nível gastronómico. Os frutos tanto podem ser consumidos crus, como em tartes, geleias, compotas e licores. A raiz e os rebentos jovens podem ser consumidos cozidos, embora a raiz leve muito tempo a cozer. As folhas secas servem como substituto do chá. Uma mistura de folhas de framboeseira e de silva (amoreira-silvestre) originam um chá com sabor e propriedades semelhantes aos do café.

Medicinalmente são utilizadas principalmente as folhas e a raiz, com as quais se prepara uma tisana que deve ser tomada no final da gravidez, sobretudo durante o último mês, não antes, para facilitar o parto. As folhas são igualmente prescritas para o tratamento de inflamação das vias respiratórias e boca, bem como para lavagem dos olhos em caso de conjuntivite ou outras inflamações oculares, bem como queimaduras e úlceras. A medicina tradicional chinesa utiliza ainda a infusão ou a tintura das folhas e das raízes para tratar dores musculares, fracturas ósseas, diarreia e amenorreia. O fruto é antiescorbútico e diurético, febrífugo e cardiotónico, podendo também ser usado em cataplasma para tratar vermelhidão da pele e atenuar manchas.

Do fruto também se extrai um pigmento lilás/azul usado em tinturaria e como corante alimentar. Os caules fornecem uma fibra a partir da qual se pode produzir papel, cozendo-os juntamente com lixívia em pó durante duas horas a três horas. O papel obtido com base neste processo tem geralmente um tom acastanhado.

Curiosidades: Actualmente existem muitos híbridos desta espécie, que pouco diferem uns dos outros e dos seus parentes silvestres, e cujas propriedades são rigorosamente as mesmas.

A framboeseira é cultivada na Europa desde a Alta Idade Média.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em Rosáceas com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Framboeseira (Rubus idaeus L.)

  1. Pingback: Rosaceae (Rosáceas) | Herbalist

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s