Valeriana-de-jardim (Centranthus ruber L.)

flora de jardim

Espécie: Centranthus ruber L.
Divisão: Magnoliphytas
Classe: Magnoliopsidas
Ordem: Dipsacales
Família: Valerianaceae
Sinonímia: Centranthus latifolius Dufr., Centranthus marinus Gray, Centranthus maritimus Gray, Centranthus maritimus DC., Kentranthus ruber (L.) Druce, Valeriana alba Mazziari, Valeriana florida Salisb.,Valeriana hortensis Garsault, Valeriana rubra L.
Nomes comuns: Valeriana, valeriana-de-jardim, cuidado-dos-homens, rosa-da-rocha, alfinetes, boliana.
English name: Red valerian.

As diferentes espécies do género valeriana são frequentemente usadas na decoração de jardins, dada a beleza das suas flores. Muitos ignoram que o seu verdadeiro valor não se encontra à superfície, mas, antes, escondido debaixo da terra

Identificação: Planta herbácea que cresce até cerca de 60 cm. Possui folhas lisas, recortadas com segmentos lanceoladas. As flores, organizadas em cacho, apresentam uma tonalidade rosa-forte muito característica.

Tipo Fisionómico: Hemicriptófito.

Distribuição: Eurásia.

Habitat: Encontramo-la em solos arenosos e húmidos, nas margens dos caminhos, nos passeios, nas orlas das matas e sobretudo nos jardins.

Floração: Março/Maio.

Princípios activos: Ácido valerénico, ácidos isovalérico e isovalerénico, ésteres, flavonóides, taninos, valerina, valerianina, actinidina e chatinina.

Propriedades: Calmante, sonífera, diurética, expectorante, anti-reumatismal.

Partes usadas: Raiz.

Usos: Calmante, actua como sonífero ligeiro, diminui a tensão nervosa resultante de traumas ou de ansiedade. É usado em casos de síndroma do colón irritável, cãibras e reumático.

Curiosidades: Ao contrário do efeito calmante que tem sobre o Homem, a valeriana parece provocar nos felinos um estado de euforia, à semelhança da nêveda-dos-gatos (Nepeta cataria L.). Após a II Guerra Mundial, a raiz da valeriana foi usada no tratamento de sintomas de ansiedade relacionadas com stress pós-traumático, conhecido com “neurose dos bombardeamentos”. O intenso e desagradável odor da valeriana apenas se manifesta após a sua secagem.    

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Valerianáceas com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s