Arquivo da Categoria: Fabáceas

Pascoinhas (Coronilla glauca L.)

Pequenas coroas áureas glorificam as bordaduras dos bosques ibéricos na espera pela entronização.    Identificação: Arbusto glabro que pode ultrapassar 1.50 m de altura. Muito ramificado, apresenta folhas verde-azuladas divididas em folíolos ímpares (1-3) e abovados, de ápice truncado, com … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , | 1 Comentário

Tojo (Ulex europaeus L.)

«Há bruxas que dançam quando a noite dança São unhas de nojo São bicos de tojo No tambor da esperança.» Carlos de Oliveira in «Mãe Podre» Identificação: Arbusto que pode ultrapassar 1,5 metro de altura, por vezes prostrando-se. As ramagens … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , | 1 Comentário

Vícia (Vicia villosa Roth.)

No meio dos pastos e das terras incultas, esta pequena fabácea destaca-se pela cor intensa dos seus pequenos cachos modestamente inclinados. Identificação: Fabácea trepadora, de raiz aprumada, caules ocos e folhas estreitas, pinuladas e algo pubescentes. Apresenta flores pequenas, arroxeadas … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , | 1 Comentário

Trevos-do-campo (Trifolium spp.)

São muitos e variados, vestem o chão dos prados terofíticos e dos ruderais, cobrem as bermas dos caminhos no Inverno, invadem relvados em busca de frescura no Verão. Tornaram-se também citadinos, colonizadores saciantes e insaciáveis, estão onde quer que encontrem … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Rabo-de-gato (Trifolium angustifolium L.)

Pode à primeira vista parecer tratar-se de uma gramínea, mas uma observação mais próxima depressa desfaz a confusão. Esta enigmática espiga é, na verdade, um trevo. Identificação: Esta leguminosa pode atingir cerca de 90 cm, mas o mais comum é … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , | 1 Comentário

Melilotos (Melilotus spp.)

Confesso que não esperava encontrar esta delicada plantinha por estas paragens. Felizmente, os terrenos baldios ainda dão guarida a muitas espécies que de outro modo já não fariam parte das nossas vidas, cada vez mais afundadas no cimento e no … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , , , | 1 Comentário

Luzerna-preta ( Medicago polymorpha L.)

Parente próxima da já tão geneticamente modificada alfafa (M. sativa), a luzerna-preta, comum nos nossos campos, é a sua melhor alternativa, tanto para alimentação do gado como para consumo humano. Identificação: Herbácea rasteira, de crescimento geralmente semi-prostrado, de caules muito … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , | 1 Comentário

Joinas-das-areias (Ononis spp.)

Esta fabácea, da sub-família das papilionáceas, pode ser encontrada ao longo da orla costeira, tanto na Península Ibérica como no Norte de África, mas também em diversos outros locais ao longo da faixa atlântica. As várias sub-espécies por norma coabitam, … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , , , , | 1 Comentário

Giesta-dos-jardins (Spartium junceum L.)

Por vezes confundida com a giesta-das-vassouras, à giesta-dos-jardins, embora algo tóxica, não faltam virtudes. Identificação: Esta fabácea calcícola, de crescimento erecto, pode atingir cerca de 2 metros de altura. As sua folhagem é escassa e dispersa-se pelo caule. As folhas, … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , | 1 Comentário

Ervilhas-de-cheiro (Lathirus spp.)

«Tiptoe for a flight with wings of gentle flush o’er delicate white» John Keats Surpreendem-nos sempre com o seu colorido incrível, feito de mesclas irreais, que sobressaem dos mantos verdes que a Primavera ainda não floriu. O seu misteriosismo faz … Continuar a ler

Publicado em Fabáceas | Etiquetas , , , , , | 1 Comentário